Carnaval Animal, Pode?

Vai cair na folia com o pet? Aproveitar a banda, fantasiar o animal e sair com ele por aí? Tudo vale desde que você use o bom senso e não exponha o animal ao perigo. Antes de mais nada, lembre-se que animais não são muito adeptos de festas e a mudança repentina na rotina deles pode causar estresse. Veja alguns pontos a observar:

1. Fique atento ao animal. Geralmente, cães não se sentem confortáveis em ambientes com muitas pessoas e com música alta. Qualquer alteração no comportamento, como agressividade ou medo, pode denotar estresse, potencializando os riscos de fuga, atropelamento e acidente. É fundamental o uso da coleira e do bom senso para saber o momento certo de encerrar a atividade.

2. Cuidado com o que o animal pode encontrar no chão. É muito frequente nesta época a intoxicação por alimentos impróprios ou por ingestão de bitucas de cigarro, confetes e até botões e peças de fantasias.

3. Mantenha o animal sempre bem hidratado. Leve um potinho e uma garrafinha com água fresca. Além disso, passe o filtro solar, para protegê-lo do sol, no focinho e orelhas, principalmente.

4. A fantasia deve ser confortável. Procure vestir o bichinho alguns dias antes da folia para ver como ele se comporta. Aproveite para observar se ele se sente à vontade ou não com a roupinha, se o tecido é adequado e fresco e se há espaço de três dedos, pelo menos, entre a fantasia e a pele do animal.

5. Deixe o filhote em casa. Animais muito novos não devem ter contato com outros bichos se ainda não forem vacinados. Filhotes são frágeis e podem se assustar com facilidade.

E para quem for viajar, a dica final é: deixe o carro arejado, leve água fresca e tapete higiênico e realize paradas de hora em hora para o animal descansar, esticar as patas e andar um pouco. As vacinas devem estar em dia. Sempre fique atento para que o bichinho não se perca ou fuja em meio a tantas pessoas.

Fonte: Mundo Pet

Voltar para o blog