Conheça a história do homem que arrisca sua vida para salvar cães

Todos os anos na China, cerca de 10 milhões de cães são mortos para que sua carne sirva de comida e até mesmo animais que são criados especificamente para o abate. A estimativa é da Humane Society International, que ainda lembra que aproximadamente 10 mil cachorros são mortos apenas no festival de carne de cachorro de Yulin. Se isso parece uma loucura, então você precisa ver pelo que passou este homem, que dedica (e arrisca) sua vida para salvar estes cães.

dog-interna (1)

Marc Ching faz parte da Animal Hope & Wellness Foundation, que resgata animais que sofreram maus tratos e busca conseguir uma nova família para eles. O diferencial está justamente em quem são os possíveis adotantes visados pela instituição: pessoas que, assim como os animais, também foram vítimas de abuso e violência.

O objetivo é propiciar que a relação entre humanos e caninos seja benéfica para ambos: pesquisas apontam que vítimas de abuso ou traumas costumam ter menores índices de ansiedade e estresse pós-traumático quando em contato com animais. Dessa forma, resgatar um cachorrinho que estava destinado à morte certa é também uma maneira de ajudar uma pessoa que passou por situações traumáticas recentemente.

O que Marc não poderia imaginar é que seu trabalho também renderia algumas situações bastante perigosas para sua própria vida. Em suas quatro viagens para a Ásia com o intuito de resgatar animais de abatedouros, ele já quase morreu por três vezes. Algumas de suas experiências incluem ter sido espancado, roubado, baleado e feito refém.

Ao site The Dodo, Marc contou que em sua primeira viagem à Pequim, na China, ele tentou ir a um matadouro, mas acabou sendo feito refém no local. Apesar da má experiência, ele conseguiu salvar 57 cães. Daí em diante, Marc percebeu que seria preciso mudar de estratégia e contratou um tradutor para assessorá-lo em suas viagens. Hoje, sua abordagem é diferente: ele se faz passar por um comprador para a indústria canina em Los Angeles, nos Estados Unidos, onde vive atualmente.

Com o disfarce perfeito, ele leva todos os animais que consegue, geralmente os que estão em pior estado, e os redireciona para veterinários locais para que possam melhorar e posteriormente ser destinados à adoção. Mesmo assim, alguns animais são escolhidos para voar aos Estados Unidos com ele – e são estes cães que ganham uma nova vida ao lado de pessoas que foram vítimas de violência, assim como eles.

Voltar para o blog